O Montepio foi, no primeiro semestre, a instituição que registou mais reclamações sobre crédito aos consumidores, enquanto no mesmo período de 2014 ocupava a quarta posição, mas os bancos estrangeiros mantiveram a liderança nas queixas sobre depósitos.

Segundo dados do Banco de Portugal, no primeiro semestre do ano passado, tal como vinha sendo habitual, os bancos estrangeiros lideravam as reclamações dos clientes bancários quer quanto às contas de depósito, o crédito aos consumidores e o crédito à habitação.

Já nos primeiros seis meses deste ano, registaram-se mudanças, sendo que no entanto os bancos estrangeiros se mantêm a liderar as queixas nos depósitos.

O BBVA foi o banco em que os clientes mais se queixaram sobre as contas de depósito entre janeiro e junho, com a média de 310 reclamações por 100 mil contratos, seguido do Barclays (com 300) e do Banif em terceiro (com 190).

Já no crédito aos consumidores, destaca-se o Montepio Crédito, com 116 queixas por 100 mil contratos, que passa assim da quarta posição ocupada no primeiro semestre do ano passado (quando tinha em média 106 queixas por 100 mil contratos) para o primeiro lugar.

A seguir ao Montepio estão o Deutsche Bank – sucursal em Portugal (com 87) e o Barclays (com 85) os bancos com mais reclamações, no primeiro semestre deste ano.

Por fim, no crédito à habitação, o Banco BIC Português liderou nas reclamações, com 100 por 100 mil contratos, piorando a sua prestação, uma vez que o ano passado ocupava a segunda posição. Já o Barclays teve a média de 94 queixas e o BBVA de 91, ocupando assim os segundo e terceiro lugares, respetivamente.

Estes dados constam da Sinopse de Supervisão Comportamental do Banco de Portugal, hoje divulgada, segundo a qual foram recebidas no primeiro semestre deste ano 6602 reclamações, numa média mensal de 1100 reclamações, “o que representa uma diminuição de cerca de sete por cento face à média mensal de 2014”, diz o supervisor bancário.

A maior parte das queixas referem-se precisamente a matérias relativas a contas de depósito, crédito aos consumidores e crédito à habitação, que em conjunto representam mais de 70% das reclamações feitas.

As contas de depósito foram a matéria mais reclamada entre janeiro e junho, em contraste com os anos de 2013 e 2014, em que tinha sido o crédito aos consumidores.

O aumento das reclamações das contas de depósito deveu-se sobretudo ao maior número de queixas sobre comissões e encargos, caso das comissões de manutenção da conta.