A dívida pública situou-se em 243,3 mil milhões de euros em agosto, aumentando 2,5 mil milhões de euros relativamente ao final do mês anterior e mais 13,991 mil milhões face ao homólogo.

Esta variação reflete emissões líquidas positivas de títulos (2,6 mil milhões de euros), com destaque para a emissão de bilhetes do Tesouro (1,6 mil milhões de euros) e para a segunda emissão de obrigações do Tesouro de rendimento variável (1,2 mil milhões de euros)", disse o Banco de Portugal no Boletim Estatístico e no BPstat.

Apesar deste agravamento, que se verificam pelo sexto mês consecutivo, a dívida pública líquida de depósitos da administração central registou uma diminuição. O crescimento da dívida pública foi acompanhado "por um aumento mais acentuado dos ativos em depósitos (3,2 mil milhões de euros), pelo que a dívida pública líquida de depósitos da administração central registou uma diminuição de 0,7 mil milhões de euros face ao mês anterior, totalizando 223,6 mil milhões de euros", acrescentou o Boletim.

Ou seja, devido às emissões o valor, em depósitos do Tesouro aumentou em 3,2 mil milhões de euros, superior ao aumento da dívida total, pelo que em termos líquidos o endividamento do Estado desceu em agosto.