A dívida pública desceu quase 3.400 milhões de euros em fevereiro, fixando-se em 231.047 milhões de euros, segundo os dados do Banco de Portugal. A contabilização é feita na ótica de Maastricht, a que conta para Bruxelas.

Em concreto, a melhoria foi de 234.430 milhões de euros em janeiro para 231.047 milhões de euros em fevereiro.

“Esta variação reflete uma diminuição nos empréstimos (2.400 milhões de euros), essencialmente por via do reembolso antecipado de empréstimos do Fundo Monetário Internacional (2.000 milhões de euros), e emissões líquidas negativas de títulos (1.000 milhões de euros) ”

Esta redução da dívida pública foi acompanhada por "uma redução mais acentuada dos ativos em depósitos", em 3.900 mil milhões de euros. A dívida líquida de depósitos da administração central subiu cerca de 500 milhões de euros, de 217.220 milhões de euros em janeiro para 217.758 milhões de euros em fevereiro.

Já na comparação anual, a dívida pública é inferior em 5.116 milhões de euros à registada em fevereiro de 2015, quando totalizou 236.163 milhões de euros.

Sem ter em conta os depósitos, registou-se uma subida de 8.610 milhões de euros em fevereiro deste ano face ao mesmo mês do ano passado, quando a dívida pública líquida de depósitos da administração central se fixou nos 209.148 milhões de euros.

A dívida na ótica de Maastricht é utilizada para medir o nível de endividamento das administrações públicas de um país e o conceito está definido num regulamento de 2009 do Conselho Europeu, relativo à aplicação do protocolo sobre o procedimento relativo dos défices excessivos anexo ao Tratado que institui a Comunidade Europeia.