O Banco de Portugal (BdP) está a exigir às instituições informação sobre os créditos que vão comercializar por homebanking e apps.

Em comunicado, a instituição liderada por Carlos Costa diz que emitiu uma carta circula em que estabelece que “as instituições devem prestar ao BdP informação sobre a comercialização dos produtos de crédito aos consumidores iniciada e concluída através de canais digitais, nomeadamente por homebanking e aplicações para dispositivos móveis (apps).”

Este reporte de informação permitirá ao banco central português “monitorizar e fiscalizar a comercialização de crédito aos consumidores através de canais digitais, de forma a assegurar o respeito pelos direitos dos clientes bancários, em particular no acesso à informação pré-contratual e contratual.”

De acordo com a Carta Circular, as instituições de crédito e as sociedades financeiras que pretendam comercializar produtos de crédito aos consumidores através de canais digitais devem prestar informação ao Banco de Portugal sobre as caraterísticas do produto de crédito e o respetivo processo de contratação, incluindo sobre os mecanismos de segurança implementados.

Os níveis de crédito, nomeadamente, ao consumo continuam subir em Portugal. De acordo com os últimos dados disponibilizados, em novembro de 2017, o montante dos novos contratos de crédito aos consumidores ascendia a mais de 654 milhões de euros, sendo que o maior crescimento e montantes dizia respeito a crédito pessoal.