O crédito malparado das famílias e das empresas diminuiu para 18.883 milhões de euros em novembro, após ter subido nos dois meses anteriores, representando 9,26% do total dos empréstimos concedidos, divulgou esta terça-feira o Banco de Portugal (BdP).

De acordo com números divulgados pelo banco central, no final de novembro de 2015 o total de empréstimos concedidos pela banca às famílias e às empresas ascendia a 203.896 milhões de euros, dos quais 18.883 milhões de euros são considerados crédito de cobrança duvidosa, o equivalente a 9,26% do total dos empréstimos.

No mês anterior, em outubro, o crédito de cobrança duvidosa das famílias e das empresas subiu para 18.974 milhões de euros, representando 9,29% dos 204.171 milhões concedidos.

Isto significa que o crédito malparado das famílias e das empresas voltou a diminuir, quebrando as subidas consecutivas que se verificaram praticamente todo o ano, com exceção do mês de março, de junho e de setembro, que apresentaram quedas ligeiras de 34, 37 e 129 milhões de euros, respetivamente.

A queda ligeira (91 milhões) do montante de crédito malparado em novembro deveu-se sobretudo à diminuição dos empréstimos vencidos nas empresas, que recuaram de 13.635 milhões de euros em outubro para 13.534 milhões.

Em novembro, o crédito de cobrança duvidosa nas empresas passou a representar 16,26% do total de 83.245 milhões de euros em empréstimos concedidos, quando no mês anterior significava 16,37% dos 83.314 milhões de euros emprestados pela banca.

Considerando apenas os créditos atribuídos às famílias, destaca-se um ligeiro aumento do malparado em novembro, que subiu para 5.349 milhões de euros, representando 4,43% do total de 120.651 milhões de euros emprestados pela banca a particulares.

No final de outubro, o crédito de cobrança duvidosa nas famílias totalizava 5.339 milhões de euros, o que representava 4,41% do total concedido (120.857 milhões de euros).

Dos empréstimos a particulares, 99.104 milhões de euros correspondiam a créditos à habitação em novembro, dos quais 2,58%, ou seja, 2.558 milhões eram de cobrança duvidosa, representando uma diminuição face a outubro. Nesse mês, os créditos malparados à habitação totalizavam 2.569 milhões de euros e 2,58% do total concedido pela banca a particulares para este fim (99.340 milhões).

O montante emprestado pela banca para consumo das famílias atingiu 11.976 milhões de euros no final de novembro, dos quais 10,64%, ou seja, 1.275 milhões de euros correspondiam a crédito malparado, o que revela um aumento face ao mês anterior. Em setembro, o malparado no crédito ao consumo representava 10,57% do total concedido, ou seja, 1.261 milhões de euros.