O governador do Banco de Portugal disse esta segunda-feira que, em 2011, quando Portugal pediu ajuda internacional, a troika pretendia que a linha de capitalização da banca fosse de 24 mil milhões de euros, o dobro da que foi constituída.

Carlos Costa falava no XI Fórum da Banca, organizado pelo Diário Económico, que decorre esta segunda-feira em Lisboa, tendo realçado que os bancos portugueses registaram imparidades de 31 mil milhões de euros durante este período e que boa parte desse esforço foi feito através de capital privado.

Em 2011 foi constituída uma linha de recapitalização para a banca de 12 mil milhões de euros.