O Banco de Portugal vai ter de quebrar o sigilo bancário na investigação à Caixa Geral de Depósitos.

De acordo com a agência Lusa, o Tribunal da Relação de Lisboa obriga o Banco de Portugal a fornecer ao Ministério Público os documentos sobre a alegada gestão danosa.

Esses documentos visam apurar as responsabilidades de administradores, dirigentes e outros funcionários da Caixa.

O Ministério Público pediu ainda informações sobre se o Banco Central Europeu abriu, ou não, uma inspeção à Caixa Geral de Depósitos.

No entender do Ministério Público, os negócios de concessões de crédito são reveladores de uma deficiente análise de risco e de negligência, podendo haver prática intencional de favorecimento de determinados agentes económicos.