Há cada vez mais portugueses a optarem por uma conta de serviços mínimos bancários - conjunto de serviços bancários considerados essenciais os cidadãos e a um custo reduzido -, segundo revelam os dados do Banco de Portugal (BdP).

Em 30 de junho de 2018 existiam 50. 610 contas de serviços mínimos bancários, o que representa crescimentos de 13% em relação ao final de 2017 e de 29% relativamente ao final do primeiro semestre de 2017. 

No primeiro semestre de 2018 foram abertas 7.404 contas de serviços mínimos bancários, das quais 51% resultaram da conversão de uma conta de depósito à ordem existente na instituição de crédito (proporção igual à de 2017).

No primeiro semestre de 2018, as instituições reportaram o encerramento de 1.412 contas de serviços mínimos bancários, das quais 83% foram encerradas por iniciativa do cliente (80% em 2017).

 

Evolução do número de contas de serviços mínimos bancários

De qualquer modo e mesmo tendo em conta os encerramentos é notório o crescimento deste tipo de contas, desde 2013 ainda segundo os gráficos disponibilizados pela instituição liderada pelo Governador, Carlos Costa.

Número de contas de serviços mínimos bancários constituídas e encerradas

O que são os serviços mínimos bancários?

Os serviços mínimos bancários são um conjunto de serviços bancários considerados essenciais que os cidadãos têm direito a adquirir a um custo reduzido. 

Estes serviços incluem a abertura e manutenção de uma conta de depósito à ordem – a conta de serviços mínimos bancários –, a disponibilização do respetivo cartão de débito e o acesso ao homebanking, bem como a possibilidade de realizar levantamentos ao balcão, débitos diretos, transferências intrabancárias nacionais e 24 transferências para outros bancos, através do homebanking

O valor anual máximo da comissão cobrada pelos serviços mínimos bancários é de 1% do indexante de apoios sociais (IAS) o que, em 2018, corresponde a um máximo de 4,28 euros. 

Qualquer pessoa singular pode aceder aos serviços mínimos bancários se não for titular de uma conta de depósito à ordem ou se detiver uma única conta de depósito à ordem, a qual pode ser convertida numa conta de serviços mínimos bancários.

As pessoas com mais de 65 anos ou com grau de invalidez permanente igual ou superior a 60% podem ter como contitulares de uma conta de serviços mínimos bancários pessoas singulares que detenham outras contas de depósito à ordem. Por sua vez, a conta de depósito à ordem destes contitulares pode ser também uma conta de serviços mínimos bancários.