O Fundo de Resolução publicou esta quinta-feira na imprensa um anúncio a informar dos pré-requisitos exigidos aos interessados em comprar o Novo Banco, e que excluem os acionistas do Banco Espírito Santo (BES) nos últimos dois anos.

Novo Banco: interessados «vão ter que entrar na fila»

«Os potenciais compradores não poderão ter sido acionistas qualificados do BES (participação igual ou superior ao limiar de 2%) nos dois anos anteriores à criação do Novo Banco», lê-se no convite para apresentar manifestações de interesse com vista à aquisição do Novo Banco, publicado hoje pelo Fundo de Resolução (que detém 100% do Novo Banco), noticia a Lusa.

Os interessados em comprar o Novo Banco têm de demonstrar deter ativos de, pelo menos, 500 milhões de euros ou ativos sob gestão ou outros recursos financeiros no valor de, pelo menos, 100 milhões de euros.

Os interessados também não podem ter sido condenados por várias práticas ilegais, nomeadamente relacionadas com atos terroristas ou branqueamento de capitais.

No caso de os potenciais compradores analisarem a aquisição do Novo Banco em conjunto, cada um deles deve cumprir separadamente os pré-requisitos de qualificação.

As manifestações de interesse na compra do Novo Banco têm de ser apresentadas até às 17:00 do último dia deste ano, 31 de dezembro de 2014.

Os líderes do Banco BPI e do Santander Totta já revelaram publicamente a intenção de analisar a possibilidade de compra do Novo Banco, cujo capital é totalmente detido pelo Fundo de Resolução.

Na quarta-feira, o presidente do Novo Banco considerou, em entrevista à TVI, uma eventual oferta do grupo chinês Fosun «uma excelente notícia», por revelar interesse na instituição.

Questionado sobre se tinha conhecimento de uma oferta de compra do banco pelo grupo chinês Fosun, avançada pela TVI, Eduardo Stock da Cunha referiu que «qualquer oferta tem de ser dirigida ao Banco de Portugal» e não à gestão do Novo Banco.

«De toda a maneira, não deixa de ser uma excelente notícia, a confirmar-se, porque só revela que existe interesse no Novo Banco», referiu.

O ativo consolidado do Grupo Novo Banco é de 72.465 milhões de euros, os capitais próprios de 5,6 mil milhões de euros e o rácio de solvabilidade de 9,2%, revelou a instituição em comunicado divulgado na quarta-feira.

Ainda segundo o Novo Banco, os depósitos de clientes totalizam 25,1 mil milhões de euros e a carteira total de crédito bruto a clientes 43,8 mil milhões de euros, dos quais 31,5 mil milhões de euros de crédito a empresas (72%) e 12,4 mil milhões de euros de crédito a particulares (28%).

A 03 de agosto, o Banco de Portugal tomou o controlo do BES, após a apresentação de prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição em duas entidades: o chamado banco mau (um veículo que mantém o nome BES e que concentra os ativos e passivos tóxicos do BES, assim como os acionistas) e o banco de transição que foi designado Novo Banco.