O crédito malparado nas entidades financeiras que operam em Espanha aumentou em setembro para os 12,68%, o nível mais elevado desde que há 50 anos o Banco de Espanha (BE) começou a reunir estes dados.

No final de setembro o sistema acumulava um total de 187.830 milhões de euros de créditos de cobrança duvidosa, aumento que se deve tanto à crise e ao seu impacto no emprego como ao efeito de reclassificação exigida às entidades pelo BE.

Em conjunto a carteira de crédito do sistema caiu em setembro para 1,481 biliões de euros, o valor mais baixo desde 2006, devido à desalavancagem de famílias e empresas.

Face a setembro de 2012, o crédito malparado ¿ o que acumula três meses consecutivos de não-pagamento ¿ aumentou em 5.604 milhões de euros, o que representa quase dois pontos percentuais mais que na altura.

Entre os estabelecimentos financeiros de crédito (EFC) - entidades que principalmente concedem financiamento para comprar automóveis, móveis, televisores e outros bens de consumo ¿ o crédito malparado atingiu um recorde de 11,64%.