O Banco Central Europeu vai cobrar, no próximo ano, 404 milhões de euros aos bancos europeus em 'taxas de supervisão', mais 24% do que em 2015, divulgou hoje a instituição com sede em Frankfurt.

Estas taxas são cobradas pelo Banco Central Europeu (BCE) para suportar os custos associados à supervisão prudencial do sistema bancário europeu, sendo que os 129 bancos significativos (os maiores da zona euro) pagarão 88,4% do valor total e os 3.200 bancos mais pequenos pagam os restantes 11,6%.

Em Portugal, estão sob a supervisão direta do BCE os bancos Caixa Geral de Depósitos (CGD), BCP, Novo Banco e BPI.