O segundo maior banco da Rússia, VTB, anunciou esta terça-feira ter recebido 100 mil milhões de rublos (1,4 mil milhões de euros) de fundos públicos para reforçar o seu capital, enfraquecido pelas sanções ocidentais e pela queda do rublo.

O banco, público, afirmou que prevê ainda receber mais 150 mil milhões de rublos (2,1 mil milhões de euros) durante o primeiro trimestre de 2015.

As verbas, retiradas de fundos de reserva alimentados nos últimos anos por parte das receitas petrolíferas, destinam-se a financiar «projetos de infraestruturas» públicas, segundo um comunicado do VTB.

Um decreto do governo da Rússia publicado esta terça-feira determina que estes fundos são empréstimos por um prazo de 30 anos a uma taxa correspondente à taxa da inflação acrescida de um ponto percentual.

As sanções económicas e financeiras aplicadas à Rússia a partir do verão pelo seu papel na crise na Ucrânia impedem o acesso dos grandes bancos públicos russos a capitais ocidentais, o que levou o governo russo a afirmar a sua disposição para ajudar a banca, principal financiador dos grandes projetos públicos.

O ministro da Economia, Anton Siluanov, disse na semana passada que um outro banco público, Gazprombank, receberia nos dias seguintes 70 mil milhões de rublos (980 mil milhões de euros).

A necessidade de reforçar capitais na banca aumentou com a acentuada desvalorização do rublo de meados de dezembro. O Parlamento aprovou nessa altura um plano de recapitalização do setor bancário de 100 mil milhões de rublos (14 mil milhões de euros).