O presidente do Conselho de Administração do Montepio, Tomás Correia, nega que haja no banco práticas como as que foram hoje noticiadas e que dizem respeito a falhas de controlo interno na prevenção de suspeitas de branqueamento de capitais.
 
O banqueiro diz que a Procuradoria-Geral da República (PGR) desmentiu ter recebido alguma queixa e sugere que as notícias contra o Montepio têm origem em candidatos que são adversários na corrida aos órgãos da instituição.
 
Entretanto a TVI confirmou que o Banco de Portugal já enviou queixa sobre o Montepio à PGR, mas a procuradoria ainda não recebeu a denúncia.

Tomás Correia disse ainda que os associados e clientes da instituição “podem estar descansados” porque a sua relação com o banco é segura.

“Os associados do Montepio e os clientes do Montepio podem estar tranquilos e descansados porque as suas poupanças e a sua relação com o Montepio está segura, está preservada, e é uma relação de futuro e de sucesso”, afirmou António Tomás Correia aos jornalistas.