As autoridades luxemburguesas querem ouvir Ricardo Salgado, no âmbito da investigação a eventuais irregularidades na gestão das empresas do Grupo Espírito Santo, mas o Ministério Público de Portugal não autoriza a deslocação do ex-banqueiro, preferindo que sejam acionados os mecanismos de cooperação internacional, revela o Correio da Manhã.

 

O jornal adianta que o pedido foi feito recentemente, mas de modo informal. O entendimento dos magistrados é o de que toda a troca de informação e inquirições dos processos em curso devem ser desencadeadas pelos trâmites oficiais, através, por exemplo, de cartas rogatórias.

 

Ricardo Salgado já se terá mostrado disponível para ser ouvido no Luxemburgo, mas a PGR adiantou que ainda não foi dirigido a Portugal qualquer pedido de colaboração, no âmbito da cooperação internacional, no sentido de ouvir o responsável.

Em junho a Procuradoria do Luxemburgo confirmou a abertura de um inquérito a três empresas da família Espírito Santo, na sequência das irregularidades detetadas na Espirito Santo International.