O nível de crédito malparado, de cobrança duvidosa, em Espanha ultrapassou em outubro os 13%, o valor mais elevado desde que há 50 anos o Banco de Espanha começou a compilar este indicador.

No final de outubro, segundo o balanço hoje divulgado, o sistema financeiro espanhol tinha créditos de cobrança duvidosa no valor de 190.971 milhões de euros.

O aumento verificado nos últimos meses deveu-se tanto aos efeitos da crise económica como às reclassificações de crédito exigidas pelo Banco de Espanha.

Contribuiu ainda para aumentar esta taxa a queda no volume total de créditos, que baixo dos 1,481 biliões de euros em setembro para 1,469 biliões de euros em outubro.

Os valores de crédito malparado desceram apenas no final de 2012 e inicio deste ano pelos efeitos contabilísticos da transferência de ativos tóxico para a Sociedade de Ativos da Reestruturação Bancária (SAREB), conhecida como «banco mau».

Uma vez corrigido esse efeito o nível de malparado tem mantido a tendência de crescimento com oito aumentos mensais consecutivos.