O candidato da lista E às eleições para os órgãos associativos do Montepio Geral - Associação Mutualista, Luís Alberto Silva, afirmou esta sexta-feira que o ato eleitoral de quarta-feira "não foi transparente" e foi "um processo que envergonha o mutualismo".

As eleições, ganhas pela lista liderada por Tomás Correia, com 58,7% dos votos, foram, de acordo com Luís Alberto Silva, "um processo que envergonha o mutualismo", sendo que a Comissão Eleitoral e a anterior gestão "conseguiram os seus intentos de fazer ganhar a lista A por qualquer meio".

Para o candidato pela lista E, houve "um resultado conhecido à partida", afirmando não se sentir derrotado porque travou “uma batalha desigual".

Em comunicado, o candidato a presidente do Conselho de Administração do Montepio Geral pela lista E "não reconhece o resultado destas eleições", acrescentando que, "com uma comissão eleitoral instrumentalizada e sem as listas oponentes poderem contactar os associados, este era o resultado expectável".

"Como presidente do Conselho de Administração da União das Mutualidades Portuguesas sinto-me envergonhado pela instrumentalização de todo este processo", frisou Luís Alberto Silva, acrescentando que "os valores do mutualismo são o rigor, a liberdade, a transparência e a democraticidade e estas eleições foram conduzidas sem rigor, coartando-se a liberdade num processo opaco e antidemocrático".

Apesar de lamentar o processo eleitoral, Luís Alberto Silva não diz no seu comunicado se irá tomar algum tipo de iniciativa para impugnar as eleições.

Tomás Correia continuará a presidir aos destinos da Associação Mutualista Montepio Geral, depois de a sua lista ter conseguido 30.891 votos na eleição conjunta do Conselho de Administração, Conselho Fiscal e Mesa da assembleia-geral.

Em segundo lugar ficou a lista D, liderada por António Godinho, com 21,5% (11.298 votos), e em terceiro ficou a lista C, encabeçada pelo economista Eugénio Rosa, com 16,3% dos votos (8.599). Por fim, ficou a lista E, de Luís Alberto Silva, com 3,5% do total de 52.634 votos contabilizados.

A Associação Mutualista é o topo do Grupo Montepio, fazendo parte deste grupo a Caixa Económica Montepio Geral, o chamado banco mutualista, de que até meados deste ano Tomás Correia também era presidente.