A empresária angolana Isabel dos Santos quer que a administração do BPI seja mandatada para negociar com o BCP uma proposta concreta de fusão.

Mário Leite Silva, administrador da Santoro, holding da empresária angolana, diz que registou a abertura do CaixaBank em avaliar a proposta.

«Registamos com satisfação a abertura de dois dos principais stakeholders à nossa proposta de desafiar as administrações do BPI e do Mbcp para analisarem uma operação de fusão entre os dois bancos», acrescenta.

O CaixaBank maior é o maior acionista do BPI e tem em curso uma oferta de compra sobre o banco.

O administrador da holding de Isabel dos Santos diz mesmo esperar que «o BPI também se possa pronunciar brevemente sobre o repto lançado pela Santoro pois acreditamos firmemente nos méritos e no potencial de criação de valor de operações deste tipo».

O representante da empresária angolana acrescenta ainda que a proposta de fusão «não teve o intuito de criar um impasse. Foi realizada com o intuito contrário -  o de propor uma alternativa viável e resolver o impasse em que nos encontramos». 

«Acreditamos que esta proposta de criação do maior banco português, com posições de referência em 3 mercados de extremo potencial – Angola, Moçambique e Polónia -, gera valor para o BPI e para os seus accionistas e é positiva e favorável para todos os stakeholders», conclui.