O HSCB vai cortar quase 50 mil empregos e reduzir em cerca de um quarto os ativos, com o objetivo de simplificar e melhorar a performance.

Cerca de metade dos cortes advirão da venda da operação no Brasil e na Turquia. A outra metade será à custa do corte de 10% do restante pessoal. Segundo a Reuters, o corte irá abranger cerca de 7.500 funcionários no Reino Unido.

O HSBC estuda ainda a possibilidade de transferir a sede de Londres para a Ásia e busca melhorar suas operações no México e nos Estados Unidos. A redução vai deixar o banco com cerca de 208 mil funcionários em 2017, ao invés dos 258 mil que estavam na empresa no final de 2014.

É a segunda tentativa do presidente do banco para aumentar os lucros desde que Stuart Gulliver chegou ao topo, em 2011.

O banco quer reduzir custos até cinco mil milhões de dólares (4,4 mil milhões de euros) por ano, até 2017.