Os trabalhadores da Caixa Geral de Depósitos têm 3 meses para decidir se querem, ou não, aderir ao programa de rescisões por mútuo acordo lançado pela administração de Paulo Macedo, noticiam Negócios e Diário de Notícias.

As candidaturas serão recebidas até 26 de setembro e até ao final do ano, o banco público prevê a saída de 550 trabalhadores.

Quem aderir ao programa terá direito a uma indemnização que varia entre 1,6 e 2,1 meses de salário por cada ano de trabalho, num limite máximo de cinco anos, consoante desconte para a Segurança Social ou para a Caixa Geral de Aposentações.

Segundo os mesmos jornais, os valores poderão ser inferiores se os trabalhadores decidirem manter alguns benefícios, como por exemplo o serviço médico SAMS, os serviços sociais ou condições de crédito pessoal contratadas enquanto funcionários.

Ficam no entanto salvaguardadas para os trabalhadores que saírem do banco a manutenção das condições de crédito à habitação e ainda um apoio transitório ao agregado familiar que passa por um subsídio infantil e de estudo.