O Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial prontificaram-se a colaborar com o Asian Infrastructure Investiment Bank proposto pela China, apesar da aparente resistência norte-americana, disse esta segunda-feira a imprensa oficial chinesa.

Numa conferência realizada domingo em Pequim, a diretora-executiva do FMI, Christine Lagarde, disse que o Fundo ficará «encantado» por cooperar com o novo banco, um projeto lançado pela China em outubro passado para financiar a construção de infraestruturas na Ásia, realçou a agência noticiosa oficial Xinhua.

O diretor do Banco Mundial, Sri Mulyani Indrawat, manifestou idêntica disponibilidade.

«Qualquer iniciativa que mobilize fundos para preencher o fosso no domínio das infraestuturas é Benvindo», disse Indrawat à Xinhua.

Estatísticas citadas na imprensa chinesa indicam que nesta década, a Ásia-Pacífico precisará de investir 8.000.000.000.000 de dólares (oito biliões) para melhorar as suas infraestruturas.

O novo banco, que será oficialmente estabelecido até ao final de 2015, com um capital inicial de 50.000 milhões de dólares, foi visto nos Estados Unidos como um desafio à atual ordem financeira internacional.

Mas seis países europeus (Alemanha, França, Itália, Luxemburgo, Reino Unido e Suíça) já se manifestaram interessados em integrar o grupo de fundadores do AIIB, juntando-se aos 26 membros iniciais.