O Supremo Tribunal de Espanha condenou o Banco Espírito Santo a devolver a 31 clientes de Guipúzcoa dois milhões de euros, que tinham investido através do BES em obrigações da Lehman Brothers e do banco islandês Kaupfthing.

Estas duas entidades faliram e deixaram em situações problemáticas milhares de investidores que, em muitos casos,
tinham investido nas obrigações através de diferentes produtos comercializados por outros bancos, sem saberem realmente quem as tinha emitido.

Segundo a sentença conhecida hoje, na apresentação dos produtos, os responsáveis do BES omitiram quem eram os reais emissores dos produtos, o que levou o Tribunal a aceitar o recurso dos investidores.

Desta forma, a instância judicial anulou uma sentença do tribunal de Guipúzcoa, que tinha absolvido o BES, repondo a sentença inicial do Juiz de Primeira Instância número 7 de San Sebastián, que anulou os contratos de seguros de vida (a forma de concretização dos investimentos) e condenou a entidade a devolver o dinheiro inicialmente investido pelos 31 afetados.