O Crédit Suisse já começou a trabalhar para desbloquear as poupanças que os clientes emigrantes colocaram no antigo BES, apurou o Jornal de Negócios. A solução tinha sido proposta em março e aceite pelo Banco de Portugal.

Em causa estão os produtos Poupança Plus, Top Renda e EuroAforro, que contêm obrigações seniores do antigo BES, cujas responsabilidades foram transferidas para o Novo Banco.

Só depois destes veículos serem desmontados é que se poderá fazer a equivalência entre estes investimentos e as ações preferenciais emitidas por estas sociedades e que estão nas mãos dos clientes não residentes do Novo Banco.

Na prática, a titularidade das obrigações será transferida dos veículos para os acionistas destas entidades, ou seja, os emigrantes. As obrigações têm depois valor de mercado negociável.