Há pelo menos dois grupos de investidores chineses a concorrer à compra da posição do Estado no Banif, revela o Jornal de Negócios. Em causa estarão entidades que ainda não fizeram investimentos significativos em Portugal.

O interesse de investidores chineses foi decisivo para apressar o dossiê de venda dos 60,53% que o Estado tem no banco. Mas a alienação será feita através de um processo competitivo, aberto a outros interessados, até porque está em causa a venda de uma participação pública.

O Banif sublinha que até à data não existe qualquer processo negocial. Ainda nenhum dos interessados abordou o Governo.

Além dos 70 milhões de ações especiais com que o Estado ficou depois de ter injetado 700 milhões de euros num aumento de capital, o comprador poderá ainda ser chamado a liquidar os 125 milhões de euros de instrumentos de capital contingente.