São pelo menos três os bancos a operar em Portugal que estão a passar a pente fino a informação financeira confidencial sobre o Novo Banco. Além do BCP, também o BPI e o Santander Totta estão a participar no processo de venda da instituição liderada por Eduardo Stock da Cunha, tendo pedido acesso ao chamado "data room",  noticia o Negócios.

Os três possíveis candidatos estão a analisar os dados detalhados sobre o Novo Banco e poderão marcar reuniões individuais com a equipa de gestão antes de decidirem se avançam com ofertas de compra. O calendário definido pelo Banco de Portugal prevê que a apresentação de propostas aconteça até ao final deste mês, altura em que a equipa responsável pelo processo de venda, liderado por Sérgio Monteiro, vai decidir se vende o Novo Banco a um investidor estratégico ou através de uma dispersão em bolsa.

Se para o BCP participar no processo de alienação do banco que herdou os despojos do BES é uma novidade, para o BPI e para o Santander é a segunda experiência. Ambos os bancos estiveram na primeira tentativa de alienação. O banco liderado por Fernando Ulrich foi afastado pelo Banco de Portugal, que considerou insuficiente o valor da sua oferta de compra não vinculativa  Já a instituição de António Vieira Monteiro passou à fase seguinte, mas acabou por não apresentar uma proposta vinculativa, refere ainda o Negócios.