A Associação dos Indignados e Enganados do Papel Comercial (AIEPC) do Grupo Espírito Santo (GES) aconselhou esta quarta-feira a administração do Novo Banco a "gastar o seu tempo a resolver os problemas dos clientes" em vez de o "perder em 'faits divers'".

Contactado pela Lusa para reagir ao comunicado emitido pelo Novo Banco que admite adotar "medidas legais" sobre os comportamentos dos lesados nos vários balcões da instituição, o presidente do AIEPC considerou que "o Novo Banco devia preocupar-se mais em gastar o seu tempo a resolver os problemas dos clientes em vez que perder tempo nestes 'faits divers'".

No documento, a instituição financeira frisa que os comportamentos e iniciativas da Associação dos Indignados "insistem em colocar em causa o funcionamento dos serviços do Novo Banco ou atingir a sua reputação e a dos seus colaboradores", pelo que se reserva "o direito de adotar as medidas legais que se mostrem adequadas a tais comportamentos, para além de continuar a apoiar, sem restrições, os seus colaboradores, nomeadamente os que são ameaçados".