O Banco Europeu de Investimento e a Caixa Geral de Depósitos vão disponibilizar uma linha de crédito de 600 milhões de euros para financiar projetos de investimento de Pequenas e Médias Empresas.

Nos termos do contrato de empréstimo assinado esta sexta-feira, em Lisboa, pelo vice-presidente do BEI, Román Escolano, e pelo presidente da comissão executiva da CGD, José de Matos, o BEI vai disponibilizar 300 milhões de euros à CGD, que complementará o empréstimo recebido com um montante semelhante, de 300 milhões de euros, «com vista à concessão de crédito em condições preferenciais às PME e mid-caps [empresas de média dimensão».

Nos termos do comunicado conjunto emitido pelo BEI e pela CGD, o empréstimo do banco de investimento será canalizado para projetos nas áreas da indústria, do turismo e dos serviços, do ambiente, do capital humano, da investigação e do desenvolvimento e da agricultura.

Os 600 milhões de euros a disponibilizar poderão também ser utilizados para financiar projetos promovidos pelas autarquias locais ou projetos que beneficiam da garantia InnovFin PME do Fundo Europeu de Investimento.

Estando a «maior parte» destes projetos localizada em zonas de convergência de Portugal, o empréstimo contribuirá, sustentam, «para o reforço da produtividade e da competitividade das PME e do emprego em Portugal».

Assumindo o financiamento das pequenas empresas como uma das suas «prioridades de investimento», o BEI e a sua subsidiária Fundo Europeu de Investimento concederam, no ano passado, um montante recorde de aproximadamente 22.000 milhões de euros em empréstimos para PME e mid-caps que abrangeram mais de 230.000 empresas na Europa.

Destes, 595 milhões de euros foram canalizados para novas linhas de crédito destinadas a financiar os projetos de investimento de PME e mid-caps em Portugal.