O BCP registou lucros de 240,7 milhões de euros no primeiro semestre do ano, um valor está muito acima dos 150 milhões esperados pelos analistas. No período homólogo do ano anterior o banco registou prejuízos de 62,2 milhões de euros.

A operação internacional contribuiu, em muito, para este resultado. As operações na Polónia, Moçambique e Angola totalizaram lucros de 165,4 milhões de euros.

A margem financeira do BCP subiu 26,6% no total, 58,5% da subida foi registada em Portugal. Também os custos operacionais reduziram-se em 3,7% no total, uma redução de 9,3% em Portugal.

O banco nota ainda aquilo que considera ser um “importante esforço de provisionamento”, com imparidades de 566,8 milhões de euros nos primeiros 6 meses de 2015, aproveitando ganhos em dívida pública para reforço das coberturas.

Em Portugal, os depósitos de clientes atingiram os 50,6 mil milhões de euros, um aumento de 4,4% face a 30 de junho de 2014, com os recursos totais de clientes a situarem-se em 65,7 mil milhões, mais 2,8% que no final do primeiro semestre do ano anterior.

O banco registou ainda uma redução da utilização de financiamento líquido do BCE para 6,1 mil milhões de euros, face aos 8,7 mil milhões registados em 30 de junho de 2014.