A partir desta terça-feira, os membros dos conselhos de administração e de fiscalização das instituições financeiras passam a ter que responder a um inquérito de idoneidade sobre a sua conduta profissional e pessoal, desenvolvido pelo Banco de Portugal.

O questionário, escreve o Diário Económico, será acompanhado por um currículum vitae detalhado, um certificado de registo criminal atualizado e um relatório de avaliação do administrador feito pelo próprio banco.

O questionário inclui questões que incidem sobre eventuais processos judiciais de natureza pessoal ou profissional, sobre a conduta financeira dos banqueiros e situação patrimonial assim como perguntas sobre eventuais infrações de regras disciplinares e códigos deontológicos.

Há ainda perguntas específicas para os administradores das caixas agrícolas, como a existência de situações de mora perante instituições onde se preparam para exercer funções