Os bancos portugueses registaram no primeiro trimestre uma “ligeira redução” dos ‘spreads’ e da restritividade relativamente a encargos não relacionados com juros e maturidades sobretudo no crédito a empresas, segundo um inquérito do Banco de Portugal (BdP).

Segundo a instituição, os critérios de concessão de empréstimos ao setor privado não financeiro terão permanecido, no entanto, em termos globais, "relativamente estáveis" no primeiro trimestre de 2016.

“Adicionalmente, algumas instituições reportaram que a pressão exercida pela concorrência, a situação económica geral, bem como a posição de capital do banco contribuíram para reduzir ligeiramente o nível de restritividade nos contratos de crédito”, refere igualmente.