As vendas da SUMOL+COMPAL aumentaram 10,6% em 2015, para 332,2 milhões de euros, atingindo um novo máximo nos mercados internacionais, embora a carga fiscal tenha penalizado os lucros, que desceram para 8,4 milhões de euros.

O grupo de bebidas salienta num comunicado enviado à Comissão de Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM) que as vendas no mercado português subiram em 2015 para 232,6 milhões de euros (mais 9,7% do que em 2014), às quais acrescem 9 milhões de euros em prestações de serviços.

A nível internacional, o crescimento foi ainda mais expressivo com as vendas a atingirem um novo máximo histórico de 99,7 milhões de euros no ano passado, ou seja, mais 12,8% do que no período homólogo. O “ajustamento não recorrente nos impostos diferidos”, ou seja, a carga fiscal penalizou os lucros que recuaram para 8,4 milhões de euros, depois de totalizarem 11,9 milhões de euros em 2014. Os resultados antes de impostos atingiram 10,5 milhões de euros (8,4 milhões do que em 2014).

A SUMOL+COMPAL antecipa “que os mercados de bebidas refrescantes e de águas continuem a crescer” em 2016 em Portugal, embora a um ritmo inferior ao do ano passado, e espera atingir “um volume de negócios ligeiramente superior”. A empresa espera também aumentar as vendas nos mercados internacionais, mas assume que esta evolução está muito dependente das vendas em Angola.

“Noutros países africanos, o profundo conhecimento e a presença que a Copagef (o novo parceiro na estrutura acionista da SUMOL+COMPAL Marcas) tem em diversos países deverão contribuir para a entrada das nossas marcas nalguns desses mercados”, acrescenta a empresa, sem detalhar quais.