A companhia aérea da Arábia Saudita rescindiu contrato com a companhia de aviação portuguesa Hi Fly, por esta ter aterrado em Israel um avião com o logótipo da Saudi Arabian Airlines, informa a agência de notícias saudita (SPA).

Contactadas pela agência Lusa, fontes do setor aeronáutico confirmaram o pedido de cancelamento do contrato com a Hi Fly – que fornece aviões com tripulação, manutenção e seguros incluídos -, empresa que tinha atualmente dois aviões ao serviço da Saudi Arabian Airlines (SAA), os quais estavam pintados com a cor e o logótipo desta companhia do Médio Oriente.

“Um destes aviões foi levado pela Hi Fly, na quinta-feira, para um aeroporto de Tel Aviv, em Israel, para manutenção. Acontece que não retiraram esses elementos identificativos da Saudi Arabian Airlines"


Foi o que explicou uma das fontes, sublinhando que desde 1947 que um avião da SAA não aterra em Israel.

No dia seguinte, foram colocados na internet vídeos e fotos deste avião no aeroporto de Ben Gurion, em Tel Aviv, capital de Israel.
 
“Esta situação causou um problema político e diplomático, com vários países do Médio Oriente a pressionarem e a questionarem a companhia aérea saudita sobre o sucedido”, acrescenta a mesma fonte.

Segunda esta fonte, a Saudi Arabian Airlines já notificou a Hi Fly da sua intenção de rescindir o contrato, alegando a violação da cláusula que determina que é proibido aterrar aviões seus em países com quem a Arábia Saudita não mantém relações bilaterais, o que acontece com Israel.

Este avião, assim que acabar a manutenção em Tel Aviv, vai regressar a Portugal, à semelhança do segundo avião que a Hi Fly tinha a voar para a SAA, que já está em Lisboa.

A Lusa tentou contactar a Hi Fly, mas até ao momento não foi possível.

Segundo uma nota da companhia aérea saudita, citada pela SPA, “a empresa [portuguesa] tinha um contrato para fornecer transporte aéreo comercial para a Saudia Arabian. O avião estava fora de serviço e sob a gestão da holding (Hi Fly) no momento em que deixou a Arábia Saudita, a 03 de maio, com destino a Bruxelas, Bélgica, para uma manutenção de rotina”.

A Saudi Arabian Airlines sustenta que a Hi Fly tinha a obrigação contratual de a informar dos países e dos locais onde decorriam as manutenções dos aviões alugados à companhia portuguesa.