O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC) anunciou hoje uma greve «a tempo inteiro» na SATA, entre 18 e 28 de junho por causa da «ilegalidade que persiste» e «prejudica 15 trabalhadores que alteraram a filiação sindical».

«O SINTAC já tinha realizado em dezembro uma greve de uma hora à entrada e uma à saída. Voltámos também a fazer há cerca de um mês uma greve que intensificava este período parcial que passava de uma a duas horas à entrada e duas horas à saída. Também não foi suficiente para a empresa e Governo Regional [dos Açores] nos ouvirem. Está na altura de adotarmos uma postura mais penalizadora», afirmou o porta-voz do sindicato, em declarações à agência Lusa.

Filipe Rocha disse que a empresa «persiste na ilegalidade prejudicando 15 trabalhadores pela sua filiação sindical» e «preferem manter um conflito que se resolve com 2.300 euros por mês», valor que «é retirado mensalmente aos trabalhadores» e que representa «menos de metade de qualquer ordenado de administrador e a empresa passou de cinco para seis administradores».

«A empresa persiste na ilegalidade. Os trabalhadores tinham evoluído ao abrigo das regras do acordo da empresa e entretanto, pela via do conflito que se gerou à volta deste memorando [entre a plataforma de sindicatos e a companhia aérea], os trabalhadores mudaram de sindicato e nessa mudança de sindicato a empresa entendeu que havia condições para regredir as carreiras quando as regras do acordo da empresa e até a lei geral não permite que se retirem valores já pagos», vincou.

Em causa, e segundo o sindicalista, estão 15 trabalhadores da companhia aérea dos Açores que mudaram de sindicato e «a empresa castigou-os», criticando a postura do Governo Regional, já que o vice-presidente do executivo «não responde ao pedido de audiência formalizado pelo SINTAC a 07 de abril».

«Nós não queremos este caminho, sabemos que escolhemos um período muito importante para a economia da região, sabemos as consequências que tem e não queremos levá-lo em frente. Queremos é que a empresa e Governo Regional nos ouçam e cheguemos a uma acordo que não penalize os trabalhadores», referiu.

A greve convocada pelo SINTAC decorrerá entre as 00:00 de 18 de junho e as 23:59 de 28 de junho.