A compra da posição do grupo de Stanley Ho na empresa brasileira de engenharia VEM, com um prémio de 20%, é um dos negócios que está a ser analisado pela Procuradoria Geral da República, no âmbito das investigações relacionadas com a TAP, escreve o Diário Económico.

O negócio, de 2007, não teve o aval do então secretário de Estado do Tesouro, que decidiu, dois anos mais tarde, enviar o processo para a Inspeção Geral de Finanças.

Fonte oficial da TAP disse ao jornal desconhecer a investigação e garantiu que o negócio teve luz verde da «tutela direta».

A PGR está a realizar um inquérito que começou pela tentativa falhada da venda da transportadora aérea a Efromovich e que, entretanto, foi alargado a outros negócios.

Nesta parte da investigação, está em causa a antiga VEM, que nos últimos anos causou fortes prejuízos à TAP. A portuguesa comprou os 85% detidos pela Geocapital por 25 milhões de dólares.