A TAP remeteu para mais tarde uma eventual resposta ao anúncio de greve avançado por 12 sindicatos ligados à empresa para os dias 27 a 30 deste mês, alegando, em comunicado no Facebook, não ter recebido qualquer pré-aviso.

«A TAP está a par, através da comunicação social, de que terá sido decidida uma greve mas, até ao momento, não recebeu qualquer pré-aviso oficial», refere a empresa no Facebook.

Contactada pela agência Lusa, fonte oficial da transportadora aérea adiantou que a TAP só terá uma reação se e quando for notificada oficialmente da intenção de fazer greve dos vários sindicatos.

Os 12 sindicatos que representam os trabalhadores da TAP, entre os quais os pilotos, decidiram na quarta-feira avançar com uma greve de quatro dias, entre 27 e 30 de dezembro.

Num comunicado conjunto, a plataforma que reúne os 12 sindicatos da TAP referiu que a greve tem como objetivo «sensibilizar o Governo para a necessidade de travar o processo de privatização».

«As garantias invocadas pelo Governo, até este momento, não são credíveis, nem eficazes. O interesse nacional não é salvaguardado. Não há urgência em privatizar, tal como o ministro da Economia transmitiu no passado dia 05 de dezembro, na Assembleia da República», adianta o comunicado da Plataforma Sindical da TAP, divulgado na quarta-feira após uma assembleia-geral do Sindicato dos Pilotos de Aviação Civil.

Já esta quinta-feira, o ministro da Economia, António Pires de Lima, afirmou à lusa que está agendada para sexta-feira uma reunião no ministério com os sindicatos da TAP, rejeitando fazer um comentário sobre a convocação da greve para a quadra do Natal.

Pires de Lima, que se encontra em Boston, nos Estados Unidos, disse que «há uma reunião marcada desses sindicatos no ministério da Economia com o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, e onde ele próprio procurará estar para ouvir os sindicatos, perceber as motivações desta greve que foi anunciada».

Segundo o Diário Económico, esta greve poderá custar até 36 milhões de euros à transportadora aérea portuguesa.