A adesão dos tripulantes de cabine da TAP aos primeiros dois dias de greve foi «quase total», atingindo 98% no dia 30 de outubro e 99% no dia 1 de novembro, afirmou esta segunda-feira o SNPVAC.

De acordo com os dados divulgados pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) em comunicado, num universo de 2.582 tripulantes de cabine, no primeiro dia da greve, 40 tripulantes fizeram oito voos de Lisboa e um do Porto, o que corresponde a «98% de adesão». Já no segundo dia da greve, 15 tripulantes fizeram quatro voos de Lisboa e um do Funchal (99% de adesão).

«Ao fim destes dois dias, os tripulantes estão expectantes quanto ao início de diálogo por parte da TAP, que a esta hora já deve ter percebido que o nosso desagrado é verdadeiro e que estamos unidos», indica o sindicato, lembrando que existem ainda outras duas greves previstas, marcadas para dias 30 de novembro e 2 de dezembro.
A realização dessas duas paralisações é uma responsabilidade que cabe «inteiramente» à TAP, avisa o SNPVAC.

«Se a TAP continuar com as conversações encerradas, os tripulantes de cabine irão voltar a protestar», avisa Rui Luís, presidente do sindicato, citado no comunicado.

Os quatro dias de paralisação, que incluem os dias 30 de novembro e 2 de dezembro, ainda por cumprir, foram marcados pelo sindicato devido ao não cumprimento do acordo de empresa assinado em 2006, acusa o SNPVAC.

Entre as questões em cima da mesa, estão o direito ao fim de semana de folga de sete em sete semanas e o cumprimento das regras estabelecidas para as tripulantes lactantes, que continuam a ser nomeadas para serviços noturnos, «o que é claramente ilegal».

De acordo com Rui Luís, os dados que têm sido transmitidos pela TAP sobre a adesão aos dois dias de greve já realizados «reportam-se a todos os voos operados pela empresa», mas nessas contas a companhia deveria ter deixado de fora os voos de regresso ao território nacional que por lei têm de ser cumpridos e as ligações aéreas com numeração da TAP mas em equipamentos da PGA, que não estava em greve.