A companhia aérea SATA anunciou esta segund-feira um reforço de lugares nas ligações entre quatro ilhas dos Açores e Lisboa no mês de agosto, para fazer face ao aumento da procura.

"Felizmente, e apesar de termos dimensionado a oferta acima da procura efetiva de 2014, verifica-se que o crescimento do tráfego é bastante superior, pelo que a SATA entende reforçar a capacidade oferecida até ao final de agosto", anunciou o presidente do conselho de administração da empresa, Luís Parreirão, numa conferência de imprensa, na aerogare das Lajes, na ilha Terceira.

No primeiro semestre de 2015, a procura pelas rotas da SATA entre os Açores e o continente cresceu 14%, segundo Luís Parreirão, o que correspondeu a um aumento de 26.371 passageiros.

A partir de 22 de julho, a SATA vai disponibilizar mais cerca de 8 mil lugares nas ligações das ilhas de São Miguel, Terceira, Pico e Faial com Lisboa.

A ilha Terceira é a que terá um reforço superior (64,9%), com mais 3.694 lugares, em sete voos adicionais (à segunda e terça-feira) e a substituição de aeronaves com maior capacidade em quatro ligações.

Na rota com a ilha do Pico haverá mais 1.320 lugares, com mais quatro ligações (à sexta-feira), o que representa um aumento de 41,3%.

O número de lugares nas ligações com o Faial cresce 13,7%, com um aumento de 1.980 lugares, em seis voos adicionais (à quarta-feira).

Apesar da concorrência das companhias de baixo custo na ilha de São Miguel, Luís Parreirão disse que a SATA registou também um aumento da procura nesta ilha, por isso, vai reforçar o número de lugares com a utilização de aeronaves com maior capacidade à quarta-feira, o que vai representar um aumento de 990 lugares (5,2%).

O reforço do número de lugares disponibilizados nas ligações com o continente será efetuado com recurso ao aluguer de aeronaves a outros operadores, segundo o presidente do conselho de administração da SATA, o que representará "um esforço financeiro de cerca de meio milhão de euros".

Questionado sobre a aquisição de novas aeronaves para a SATA, Luís Parreirão disse apenas que a conferência de imprensa não se destinava a falar sobre esse assunto.

Por sua vez, o secretário regional do Turismo e Transportes, Vítor Fraga, salientou que o Governo dos Açores tem desenvolvido outros contactos para trazer voos de baixo custo e 'charters' para a ilha Terceira, não só para reforçar a oferta turística, como para melhorar as acessibilidades para a população da ilha e do grupo central do arquipélago.

"Temos vindo a fazer, ao longo desta legislatura, um árduo trabalho de captação de novas operações para Terceira, não só ao nível das companhias 'low cost', mas também ao nível de voos 'charters' que incrementem o fluxo de turistas", frisou.

Vítor Fraga não adiantou, no entanto, mais pormenores sobre as negociações, alegando que devem ser feitas "de forma silenciosa, reservada, sem alaridos, nem publicidade".

"Este trabalho ainda não está concluído, mas estamos confiantes pelo desenrolar de contactos e de manifestações de interesse que o mesmo seja coroado de sucesso", frisou, em relação à captação de 'charters' para a Terceira.

O secretário regional enumerou, no entanto, cerca de duas dezenas de contactos presenciais e telefónicos que manteve, desde setembro, com as duas companhias de baixo custo que já voam para a ilha de São Miguel, no sentido de as sensibilizar para realizarem voos também para a Terceira.

Vítor Fraga voltou a acusar o líder do PSD/Açores, Duarte Freitas, de buscar "protagonismo pela propaganda" e de chamar a si "responsabilidades que não tem", fazendo "anúncios avulso e a destempo, sem qualquer pingo de preocupação quanto às consequências que estas atitudes possam ter no desenrolar dos processos de contactos e negociações".