Os pilotos da Lufthansa, a maior companhia aérea alemã, vão fazer greve a partir da próxima quarta-feira e até sexta-feira, anunciou o sindicato dos pilotos Cockpit num comunicado.

A ameaça desta greve pairava desde a semana passada, quando os pilotos votaram massivamente a favor de uma paragem para exigir aumentos salariais bem como a melhoria das condições de fim de carreira.

O Cockpit, que tem 9.000 sindicalizados de todas as companhias aéreas, decidiu pedir aos pilotos para pararem a partir das 00:01 de quarta-feira (22:00 TMG) até às 23:59 (21:59 TMG), afirmando que não obteve qualquer resposta satisfatória da direção da Lufthansa às reivindicações que tinha apresentado.

O sindicato prevê uma participação «absolutamente esmagadora», declarou um dos porta-vozes do Cockpit, que não quis precisar o número de filiados entre os 5.000 pilotos que trabalham na Lufthansa.

O sindicato afirmou ainda que está pronto para suspender a greve até ao último minuto, mas com a condição de a companhia apresentar uma oferta considerada aceitável.

Na quinta-feira, a Lufthansa foi forçada a anular 600 voos devido a uma greve de trabalhadores de numerosos aeroportos alemães do sindicato Verdi.