O aeródromo de Tires (Cascais) foi encerrado ao final do dia desta sexta-feira, segundo o diretor, e assim vai continuar pelo menos até à próxima segunda-feira, depois de uma inspeção realizada pela Agência Europeia para a Segurança na Aviação.

«A decisão de fechar o aeródromo teve por base a falta de serviços meteorológicos obrigatórios. Temos uma estação automática que não está certificada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera e que devia estar, além não termos um meteorologista», explicou à agência Lusa António Santinhos.

O diretor do aeródromo espera que a situação esteja resolvida na segunda-feira de manhã, reconhecendo que vai acarretar «transtornos muitos elevados», nomeadamente para as empresas de aviação que operam no aeródromo e não vão poder voar durante o fim de semana.

A inspeção da European Aviation Safety Agency decorreu na quinta-feira, mas os aviões ainda voaram até ao pôr-do-sol de hoje.

António Santinhos referiu que estas inspeções surpresa são feitas com regularidade aos aeroportos e aeródromos, mas adiantou que esta foi a primeira vez que o aeródromo de Tires foi alvo deste tipo de fiscalização.

Localizado na freguesia de São Domingos de Rana, o aeródromo municipal de Cascais é conhecido como aeródromo de Tires e conta com a presença de duas dezenas de empresas e mais de 500 trabalhadores.

O aeródromo de Tires foi inaugurado a 11 de outubro de 1964, comemorando 50 anos no sábado.