A companhia aérea alemã Lufthansa anunciou esta sexta-feira que a greve parcial de pilotos convocada para hoje levou ao cancelamento de cerca de 200 voos e vai afetar cerca de 25.000 passageiros.

Lufthansa cancela quatro voos de e para Portugal

Um porta-voz da empresa disse que estão a ser procuradas soluções para os passageiros afetados, incluindo a transferência para outras companhias áreas ou, no caso de viagens em território alemão, para o sistema de caminhos-de-ferro nacional.

A greve, convocada pelo sindicato de pilotos Vereinigunf Cockpit, para o período entre as 17:00 e as 23:00 (16:00 e 22:00 de Lisboa), vai afetar os voos com partida e chegada ao aeroporto de Frankfurt.

Os primeiros voos cancelados são de aviões que deveriam partir até às 13:30 (12:30 em Lisboa) de outros aeroportos europeus com direção a Frankfurt.

Em comunicado, o sindicato explicou que serão afetados os voos efetuados em Airbus A320, Boeing B737 e Embraer.

A paragem é realizada no âmbito das negociações em curso entre o sindicato e a Lufthansa para a assinatura do acordo coletivo e reforma da aposentação antecipada, e segue-se à greve realizada na passada sexta-feira por pilotos da Germanwings, subsidiária de baixo custo da empresa.

O sindicato e a direção da Lufthansa negoceiam, desde março, o sistema de reforma antecipada paga pela companhia aérea e de que desfrutam até agora 5.400 comandantes e copilotos.

O atual sistema de reforma, que os pilotos querem manter, permite aos capitães deixar de trabalhar a partir dos 55 anos com 60% do seu ordenado de base.

Segundo dados da Lufthansa, os capitães obtêm atualmente a reforma antecipada com uma idade média de 59 anos. O plano da companhia passa por aumentar a idade mínima da reforma para os 61 anos e envolver os pilotos no financiamento das suas pensões.

Na negociação encontram-se também os pilotos da Lufthansa Cargo e Germanwings, afetada por uma greve de seis horas na passada sexta-feira.