A TAP antecipa a possibilidade de atrasos durante o dia 31 de dezembro devido à greve convocada para a Groundforce, mas mantém toda a operação e horários, à semelhança do dia 24, disse esta segunda-feira fonte da empresa, refere a Lusa.

De acordo com uma fonte oficial da TAP, a transportadora «mantém todo o planeamento da sua operação e horários de aviões, mantendo-se o que foi a mensagem que [se tentou] passar aos clientes» na véspera de Natal, quando ocorreu um período de greve idêntico.

«É possível que venham a ocorrer alguns atrasos, mas não prevemos o cancelamento de qualquer voo e mantemos a operação como previsto», sublinhou a mesma fonte, reafirmando o que a TAP havia comunicado no começo do mês.

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA) decidiu, no começo deste mês, manter a greve para os dias 24 e 31 de dezembro na Groundforce, depois de uma reunião com a administração da empresa.

«Não foi possível chegar a um entendimento [com a administração da empresa que presta serviços de assistência nos aeroportos] e a greve mantém-se», disse, na altura, Fernando Henriques, da direção do SITAVA.

O sindicato, que representa 840 trabalhadores da Groundforce, avançou para a greve em protesto contra a reorganização dos tempos de trabalho, «que resulta em horários de nove e 10 horas», segundo a estrutura sindical.