A adesão à greve dos funcionários da Groundforce está a ter uma adesão de 26,5 por cento, disse esta terça-feira fonte da empresa, numero bastante inferior aos 90 por cento avançados pelo sindicato dos trabalhadores dos aeroportos.

Groundforce com forte adesão à greve atrasa partidas em Lisboa



Em declarações à agência Lusa, Fernando Faleiro, do departamento de Comunicação e Marketing da Groundforce, referiu que a greve «não está a criar qualquer constrangimento» no funcionamento dos aeroportos.

O responsável admitiu apenas «ligeiros atrasos» devido à greve, enquanto outros atrasos se devem ao mau tempo.

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA) declarou-se esta manhã «bastante satisfeito» com a adesão à greve dos funcionários da Groundforce, avançando que supera os 90% em algumas áreas, e que está a provocar atrasos nas partidas de hora e meia.

Em áreas como carregamento e descarregamento dos aviões e reboque das aeronaves a adesão ronda os 90% e em alguns casos «nenhum trabalhador entrou ao serviço desde a meia-noite», disse o responsável.

Os trabalhadores da empresa de assistência nos aeroportos Groundforce estão hoje em greve, em protesto contra a reorganização dos tempos de trabalho.

O sindicalista disse à Lusa que no aeroporto de Lisboa «ainda não houve nenhum voo que tivesse saído a horas e já se registam atrasos de uma hora e meia», sendo previsível que os atrasos «se estendam por mais horas» no decorrer da manhã.