Representantes da troika iniciaram esta segunda-feira em Dublin a segunda análise à situação da economia irlandesa desde o fim do programa de ajustamento, em dezembro passado.

Um porta-voz do Ministério das Finanças afirmou que, nos próximos sete dias, a delegação vai reunir-se com membros desse departamento, com o «banco mau» criado pelo Governo irlandês durante a crise e com a Agência Nacional de Gestão do Tesouro.

Entre os assuntos que estarão em análise, explicou a fonte, destaca-se o pagamento antecipado de parte do empréstimo solicitado por Dublin em 2010 à União Europeia e ao FMI, no valor total de 85 mil milhões de euros.

No início deste mês, o primeiro-ministro irlandês, o conservador Enda Kenny, afirmou que o país está em condições de devolver antes do prazo fixado o empréstimo de 23.550 milhões de euros concedido pelo FMI, o que pode representar uma poupança de 1.500 milhões de euros.

Apesar de se esperar que a delegação da troika confirme os avanços na recuperação da economia irlandesa, analistas consideram que esta deverá pedir mais esforços para a redução do desemprego e para baixar os níveis da dívida pública e privada.

A primeira avaliação da troika após o programa de resgate teve lugar em junho passado.