Nove empresas encerraram o ano de 2014 a dever, no total, mais de 45 milhões de euros às Finanças, segundo informação atualizada no último dia do ano e divulgada pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT).

De acordo com a lista de devedores ao fisco a 31 de dezembro de 2014, publicada na página oficial da AT, são nove as empresas que acumulam, cada uma, dívidas às Finanças superiores a cinco milhões de euros.

Entre elas está a SAD do Boavista Futebol Clube, bem como várias empresas ligadas a sucatas, reciclagem de metais ou equipamentos eletrónicos.

No final do ano, cerca de 160 empresas, com negócios ligados à construção civil, imobiliário, informática, ou comércio de automóveis, entre outros, deviam entre um milhão e cinco milhões de euros ao fisco.

No caso dos contribuintes singulares, a AT dá conta de 188 que acabaram o ano a dever às Finanças mais de um milhão de euros cada um.

Criada em 2006, a lista pública de devedores à administração fiscal divulga os contribuintes que, «por ter terminado o prazo de pagamento voluntário sem terem cumprido as suas obrigações e, no prazo e termos legais, não tenham prestado garantia ou requerido a sua dispensa, não têm a sua situação tributária regularizada», lê-se na página da AT.

A AT apresenta a lista separando os contribuintes singulares por seis escalões, consoante o valor da dívida que acumulam nas Finanças. O escalão mais baixo para estes contribuintes é entre os 7.500 e os 25.000 euros e o mais alto diz respeito a contribuintes que devam mas de um milhão de euros.

No caso dos contribuintes coletivos, o fisco apresenta também seis escalões, entre os 10.000 e os 50.000 euros (o mais reduzido) e de mais de cinco milhões de euros (o mais elevado).

«A lista é atualizada permanentemente com a inclusão de novos devedores que se verifique passarem a preencher os requisitos necessários ao efeito e a supressão dos devedores que, designadamente através do pagamento ou prestação de garantia, tiverem entretanto regularizado a sua situação tributária», refere.