A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) realizou esta terça-feira uma megaoperação de fiscalizaçao de estabelecimentos comerciais para combater a utilização de sistemas de faturação fraudulentos.

No total foram inspecionados 178 estabelecimentos, por 356 fiscais e 200 agentes policiais, entre lojas de comércio a retalho, restaurantes, cabeleireiros e joalharias.

Foram instaurados 128 autos de notícia a 108 arguidos por utilização ilegal de programas de faturação, entre outros ilícitos. «O valor máximo das coimas poderá ascender a um valor de cerca de 3,1 milhões de euros», refere a autoridade em comunicado.

A operação Fatura Suspensa foi iniciada em setembro de 2013. A 24 de abril o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, determinou a revogação da licença do programa de faturação IERC, com uma participação no Departamento Central de Investigação e Ação Penal contra a empresa que comercializa o programa.