Nos primeiros seis meses do ano a Autoridade para as Condições de Trabalho detetou 480 empresas com salários em atraso há mais de 60 dias, no valor de 1,8 milhões de euros, escreve o Jornal de Notícias.

O montante corresponde a um terço dos 5,4 milhões de euros em dívida contabilizados pela ACT ao longo de todo o ano de 2014.

A ACT detetou 13.761 visitas inspetivas a 8.953 empresas. As infrações mais frequentemente detetadas são falhas relacionadas com seguro de acidentes de trabalho, falta de exames de saúde de admissão do trabalhador e pela ausência de organização de serviços de segurança e saúde no trabalho.