A cobrança de multas continua a ser pouco eficaz em Portugal. Nos últimos dois anos ficaram  por cobrar mais de 250 mil multas pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

Os números são avançados pelo Jornal de Notícias, que adianta ainda que no ano passado ficaram por cobrar mais de 31 mil multas. Ainda assim, um número inferior às 225 mil de 2015.

A incapacidade de dar conta do volume de autos obrigou a rever os objetivos que tinham sido fixados pelo Ministério da Administração Interna (MAI) à ANSR em matéria de eficácia. Isto porque, a autoridade teria de cumprir a meta de 85% de multas cobradas, estabelecida pelo Ministério mas a eficácia ficou aquém do esperado, nos 62%. Por isso, a autoridade pediu ao Governo que baixasse os objetivos anuais para não ter má avaliação.

O MAI aceitou a proposta e a meta passou a ser outra: "limitar a taxa de prescrição de autos de contraordenação rodoviária em 10%." Esta alteração não só permitiu à ANSR chegar ao final do ano com o objetivo cumprido, como ainda superado em 70%.