A Autoridade da Concorrência emitiu uma decisão de não oposição à operação de compra da Espírito Santo Saúde SGPS pela Fidelidade - Companhia de Seguros, já que não é suscetível de criar entraves significativos à concorrência.

Em comunicado, a AdC «considerou que a operação não é suscetível de criar entraves significativos à concorrência efetiva nos mercados da prestação de cuidados de saúde hospitalares por unidades privadas no Minho-Lima, Grande Porto, Tâmega, Baixo Vouga, Grande Lisboa, Alentejo Central e Península de Setúbal».

O mesmo acontece no «mercado da prestação de cuidados de saúde hospitalares por unidades públicas na Grande Lisboa e no mercado da prestação de serviços de alojamento a pessoas idosas (residências sénior) na Grande Lisboa, bem como nos mercados dos seguros de saúde e dos seguros de acidentes de trabalho, ambos com referência ao território nacional».

A decisão foi tomada esta sexta-feira pelo conselho da AdC.

O grupo chinês Fosun detém em Portugal a seguradora Fidelidade e a Espírito Santo Saúde.