O fabricante alemão Volkswagen prevê recolher 120.000 carros a diesel na Coreia do Sul, na sequência do escândalo da manipulação das emissões poluentes, anunciaram esta quinta-feira as autoridades sul-coreanas.

A Volkswagen enviou uma carta ao Ministério do Ambiente sul-coreano informando-o das suas intenções, indicou o governo da Coreia do Sul, citado pela Reuters.

O governo irá decidir em novembro que medidas terão de ser adotadas pela marca, incluindo a recolha de automóveis e/ou a suspensão das vendas.

Será em novembro que sete modelos a diesel da Audi e Volkswagen vão ser testados no país. Em dezembro os testes alargam-se a outros fabricantes.

Procuradores alemães anunciaram uma investigação criminal ao antigo presidente executivo do construtor automóvel, Martin Winterkorn, que se demitiu em consequência do escândalo, enquanto autoridades de outros países abriram investigações ao escândalo. 

O grupo anunciou na terça-feira que vai reparar os  11 milhões de veículos equipados com o kit fraudulento.