A Volkswagen garante que vai manter os investimentos na Autoeuropa, sabe a TVI.

O Ministro da Economia Pires de Lima participou esta sexta-feira numa conferência telefónica com Herbert Diess, membro da Administração do Grupo Volkswagen e Chairman da marca para as viaturas ligeiras de passageiros, na qual participaram também o Secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade, Pedro Gonçalves, e o responsável da Autoeuropa em Portugal, António Melo Pires.

"O Presidente da marca assegurou que o investimento de 677 ME em Portugal segue como previsto, não tendo sido minimamente afetado pelo plano de cortes nos investimentos anunciado pela VW. A nova unidade de produção entrará em laboração até 2018 com um nível de atividade previsivelmente igual ou superior ao que foi contratualizado com a AICEP", de acordo com a nota do Ministério da Economia.

Carros começam a ser chamados às oficinas no início do ano

O Grupo Volkswagen confirmou ainda que está a trabalhar num calendário de regularização das viaturas equipadas com o kit fraudulento e que, previsivelmente, "as que carecem de modificações ao nível do software deverão estar solucionadas até ao final do primeiro semestre de 2016 e as que necessitam de intervenções mais complexas, até Dezembro do mesmo ano".

O Governo voltou ainda a deixar a garantia de que os clientes não vão suportar qualquer custo com a reparação do software.

"Foi reiterada a garantia de que os proprietários dos veículos não serão chamados a assumir qualquer responsabilidade financeira, ou de outra ordem, na sequência da regularização dos veículos, ou de outros impactos que venham a ser apurados, que correrão integralmente por conta da marca. Os consumidores estão, assim, protegidos de custos resultantes das modificações dos motores ou outros que venham a ser determinados".