"Em relação aos poluentes, a PSA confirma que os seus veículos nunca foram equipados com 'softwares' ou dispositivos que permitissem detetar testes de conformidade e ativassem quaisquer dispositivos de tratamento de gases, inclusive os NOx (óxidos de azoto), que ficassem inativos numa utilização pelos clientes", lê-se no documento.


"O grupo recorda que os seus veículos obedecem às normas e que 4.300 veículos foram retirados de forma aleatória das fábricas em 2014 para verificar a conformidade da produção em matéria de homologações", sublinhou a entidade.